sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

MISSA DA SAGRADA FAMÍLIA - Lucas 2,41-52

LECTIO DIVINA

27 de Dezembro de 2009

MISSA DA SAGRADA FAMÍLIA

Lucas 2,41-52

Autor: Pe. Carlos Henrique

Neste domingo, celebramos a beleza desta única e irrepetível família humana, da qual fazem parte Jesus, o Filho de Deus, mas também a Virgem Maria e o pai adotivo de Jesus, São José. Estas três grandes figuras nos convidam a refletir o sentido mais verdadeiro da família cristã e o modo no qual devemos viver dentro dela, embora cada um tenha uma missão particular recebida de Deus para cumprir.

O texto do Evangelho de Lucas nos leva ao momento do desaparecimento e ao momento em que Jesus é encontrado, assim se faz conexão espiritual e não histórica ou temporal entre o nascimento de Jesus, celebrada na Solenidade do Natal e a Epifania, que encerra o tempo natalino.

“Os pais de Jesus iam todos os anos a Jerusalém, para a festa da Páscoa. Quando ele completou doze anos, subiram para a festa, como de costume. Geralmente, as pessoas organizavam grandes caravanas para ir e voltar de Jerusalém. É justamente por isso que não devemos estranhar que os pais de Jesus não se preocupem nem tenham percebido logo o desaparecimento do seu Filho. Entretanto, quando se dão conta, voltam a Jerusalém e o encontram no Templo entre os Mestres da Lei, escutando e fazendo perguntas. Todos os que o ouviam estavam maravilhados com a sua inteligência e suas respostas.

Mas seus pais reagem com preocupação e ficam desconcertados quando o menino lhes comunica a sua missão: “Por que me procuráveis? Não sabeis que devo estar na casa de meu Pai?”

Apesar de José e Maria terem alguma intuição sobre o sentido das palavras de Jesus, até aquele momento era difícil para eles entender e voltam para Nazaré trazendo Jesus que era-lhes obediente em tudo.

Enfim, o Evangelho nos diz que Jesus continuava crescendo e que Maria guardava todas estas coisas em seu coração. É interessante notar que nesta família não há pecado, mas há desencontros como este apenas narrado. E esta família tem muito a nos ensinar em nossos próprios desencontros familiares.

Não obstante as dificuldades, esta família singular é unida e cada um se sente responsável pelo outro. A dificuldade e a incompreensão são superadas por uma visão de amor e, sobretudo, na contínua disponibilidade de buscar e de atuar a vontade de Deus seja por parte de Jesus seja por parte de Maria e José.

E sobre esse amor é o que fala o texto da segunda leitura de hoje que é tirada da carta de São Paulo aos Colossenses. Nesta leitura, somos educados ao amor, também no mais estreito sentido que Paulo nos apresenta aqui para as nossas famílias. Se as nossas famílias devem ser escolas de autêntico amor entre todos os seus membros, a educação ao amor se tornará suave se realizarmos tudo na ótica do amor para com Deus e o próximo.

O filho não é um direito nem uma pretensão da mulher nem do homem ou do casal, mas é um dom de Deus que deve ser acolhido com amor e responsabilidade, sem forçar a vontade de Deus e a técnica para obter egoisticamente aquilo que a natureza por misteriosos fatos não concede às vezes aos esposos, ou mesmo, a alegria de um filho.

Diante da cultura de morte que se difunde sempre mais na história hoje, este texto nos leva a contemplar a beleza do dom da vida, da maternidade e da paternidade. Bem que queríamos que o clima natalino que respiramos nestes dias fosse, sobretudo um clima de defesa da vida e especialmente da vida mais indefesa. E entre estes fracos estão as crianças concebidas e que devem ser acolhidas e acudidas com singular amor pela mãe enquanto se desenvolvem no ventre, como também as tantas crianças desaparecidas, esquecidas e abandonadas neste mundo que têm tanta necessidade de dignidade, de uma família normal onde elas possam crescer com o amor e a atenção de ambos os pais. Esta seja a nossa oração não só de hoje, mas de sempre por nós e as famílias de todo o mundo.

Enfim, pense por um momento sobre o quanto é importante o seu filho para você que é pai ou mãe. Você reza regularmente por ele? Rezar pelas crianças é o melhor presente que você pode dar a elas. Reze para que seu filho ou sua filha cresça em sabedoria, idade e graça como Jesus cresceu diante de Deus e seja uma bênção para a humanidade.

Nenhum comentário: