quarta-feira, 11 de novembro de 2009

33º Domingo Comum - Ano B - Marcos 13,24-32

LECTIO DIVINA
Domingo 15 de Novembro de 2009

1 - LEITURA

O que diz o texto?
Indicações para a leitura
Queridos amigos:
Estamos nos aproximando do final do Ano Litúrgico e o Evangelho deste Domingo nos faz considerar com seriedade o tema da salvação com o retorno final de Jesus Cristo.
O texto tem três partes:
· Versículos 24-27: a volta do Filho do Homem.
· Versículos 28-31: o ensinamento da figueira.
· Versículo 32: o dia e a hora da Segunda Vinda de Cristo.
Na primeira parte, pode ser que assustem as imagens que nos são apresentadas. Há toda uma “comoção” cósmica. Isto é próprio da linguagem apocalíptica: esta forma para descrever as intervenções poderosas de Deus na história. Por outro lado, não deve importar em primeiro lugar os sinais chamativos, senão a vinda de Jesus Cristo, o Filho do Homem que vem com poder e glória para reunir seus discípulos. A presença poderosa, sublime e solene do Senhor deve dar tranquilidade a nossos corações...
Na segunda parte, busca-se aplicar à vida o que nos foi narrado na parte anterior. E o Senhor utilizará uma espécie de imagem parabólica tomada da realidade cotidiana dos palestinos. Quando os ramos da figueira começam a ficar verdes e as folhas começam a brotar é sinal de que o verão está perto. Da mesma forma que no âmbito da natureza, pode-se detectar as estações climáticas, os discípulos do Senhor devem aprender a olhar a realidade que a Segunda Vinda de Cristo é iminente. A frase do versículo 30 não faz referência ao fim do mundo senão ao fim de Jerusalém que no ano 70 será destruída pelas tropas dos romanos. Não devemos nos confundir e gerar falsas profecias... No versículo 31 o Senhor ratifica que tudo passará, porém que sua Palavra permanecerá firme e estável para sempre.
Na terceira parte fica absolutamente claro que não se sabe nem o dia nem a hora do fim do mundo. Isto é importante registrá-lo dado que de vez em quando aparece algum suposto iluminado que pretende saber o dia do fim do mundo. Jesus é claro: ninguém sabe... Nem sequer nesse momento Ele mesmo em sua natureza humana... É evidente que enquanto Deus glorioso e eterno tudo lhes é conhecido…

Saiba que: o gênero literário dos evangelhos é, justamente, “evangelho”. Sem dúvida, dentro deste gênero há outros: por exemplo, parábola, relato de milagre, etc. O capítulo 13 de Marcos (junto com o 24 de Mateus e o 21 de Lucas que são os textos paralelos), estão sob o gênero literário apocalíptico. Isto é, dizer numa linguagem simbólica que utiliza as imagens e as situações da vida (sobretudo as mais dramáticas), para expressar uma mensagem religiosa que não busca “assustar” senão fazer tomar com responsabilidade o presente para estar abertos ao dom da salvação.

Outros textos bíblicos para confrontar: Mt 24,29-36; Lc 21,25-33; Dn 7,13-14.

Perguntas para a leitura
· Como começa o relato?
· Qual é o clima dominante: louvor, tristeza, alegria, aflição...?
· Que tipos de sinais são descritos?
· O que passará ao sol, à lua e às estrelas?
· O que significam estes fenômenos?
· O que se passará no céu?
· A quem se verá? Em que forma será visto?
· O que farão os anjos de Cristo?
· O que significa o “Filho do Homem”?
· Que exemplo Jesus usa imediatamente e para que o apresenta assim?
· O que acontece com a figueira quando se aproxima o verão?
· Como deve ser aplicado o exemplo da figueira à vida dos discípulos do Senhor?
· Quando tudo desaparecer no final dos tempos, o que permanecerá para sempre?
· Sabe-se o dia e a hora da Segunda Vinda de Jesus?
· Por que nem o mesmo Senhor sabe?


2 - MEDITAÇÃO

O que me diz o texto? O que nos diz o texto?

Perguntas para a meditação

· Quais seriam os “cataclismos” de minha vida hoje?
· Qual é o “sofrimento” que terá que se passar?
· Em que situações experimento de maneira particular que o sol se põe obscuro, que a lua deixa de brilhar e que as estrelas caem do Céu?
· Como me impacta a aparição gloriosa e solene de Jesus, o Filho do Homem?
· Poder-se-ia dizer que estou preparado para recebê-lo?
· Se a Segunda Vinda de Cristo fora hoje: estaria pronto para que os anjos do Senhor me reunissem como um dos seus discípulos e seguidores? Em quais coisas sim e quais talvez não?
· Sou capaz de aprender a lição da figueira?
· Aprendo a ler os sinais que Deus põe em minha vida?
· Quais sinais hoje Deus está pondo ao alcance de minha mão para que descubra e siga sua santa vontade?
· Aprendo a olhar, aprendo a seguir…?
· Quero mudar, quero crescer…?
· O que significa para mim hoje que sua Palavra permaneça para sempre?
· Deixo que sua Palavra firme e estável seja a raiz de minha vida espiritual?
· Que lugar tem a Lectio Divina em minha vida para que possa dizer alegremente que sua Palavra realmente permanece para sempre?
· Vivo sereno na fidelidade ao Evangelho sabendo que o Dia do Senhor chegará de um momento para outro?

3 - ORAÇÃO

O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?

Para a oração usaremos três textos bíblicos que fazem referência à permanência da Palavra de Deus.

Salmo 119,89-96
A tua palavra, Senhor, é eterna, estável como o céu. Tua fidelidade dura por todas as gerações; fundaste a terra e ela está firme. Tudo subsiste até hoje conforme tuas normas, pois tudo está a teu serviço. Se tua lei não fosse meu prazer, já há muito teria perecido na minha miséria. Jamais esquecerei teus preceitos: pois por eles me deste a vida. Eu te pertenço: salva-me, porque procuro teus preceitos. Os ímpios me esperam para arruinar-me eu compreendo teus testemunhos. Eu vi limites em tudo o que é perfeito mas teu mandamento não tem confins.

Isaías 40,7-8
A erva seca, murcha a flor, basta soprar sobre elas o vento do Senhor, mas a palavra do nosso Deus fica de pé para sempre.

1Pe 1,23-25
Nascestes de novo, não de uma semente corruptível, mas incorruptível, mediante a palavra de Deus, viva e permanente. Pois “toda carne é como erva, e toda a sua glória como a flor da erva; secou a erva, caiu-lhe a flor; mas a palavra do Senhor permanece para sempre”. Ora, esta é a palavra que vos foi anunciada como Boa-Nova.

Essa Palavra é a boa notícia que o Senhor Jesus Cristo nos ensinou. Os três textos retroalimentam a mesma ideia onde o centro está nas palavras de Jesus.

4 - CONTEMPLAÇÃO

Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

Para a contemplação utilizaremos o versículo 31:
· Quando tudo se faz água em minha vida... Jesus me diz: Minha Palavra permanece para sempre…
· Quando os “cataclismos” pessoais me debilitam… Jesus me diz: Minha Palavra permanece para sempre…
· Quando sinta que caem os astros do céu... Jesus me diz: Minha Palavra permanece para sempre…
· Quando…
· Quando…

5 - AÇÃO

Com que me comprometo? Com que nos comprometemos?

Proposta pessoal

· Examinar a própria vida e descobrir os principais sinais que Deus me deu ao longo de minha vida: a proximidade de um amigo, um retiro ou jornada de oração, um problema que se pôde solucionar... quais sinais de sua presença me está presenteando hoje?

Proposta comunitária

· Em teu grupo da Igreja dialogar sobre a Segunda Vinda de Cristo. Consultar ao sacerdote, religiosa, catequista para que lhes explique muito bem o que isto implica. Tratar de fazer-lhes perguntas para estar bem formado segundo a fé cristã e não assumir muitas posturas estranhas que andam circulando pelos meios de comunicação.

Nenhum comentário: