terça-feira, 20 de outubro de 2009

30º Domingo Comum - Ano B - Marcos 10, 46-52

LECTIO DIVINA
Domingo 25 de Outubro de 2009

1 - LEITURA

O que diz o texto?

Indicações para a leitura

Queridos lectionautas:

Mais uma vez, a Palavra de Deus nos presenteia uma cura milagrosa realizada pelo Senhor que vem revelar definitivamente a presença do Reino entre os homens.

Jesus continua caminhando com seus discípulos e passa pela cidade de Jericó. Muita gente o acompanha. À beira do caminho havia um cego chamado Bartimeu que pedia esmola. Ele escuta que Jesus está passando por ali e começa a gritar, pedindo que o ajude e tenha compaixão dele já que Jesus é o Messias. A multidão, que muitas vezes se mete onde não deve, com atitude comedida, começa a querer calar o cego... Por quê? Não sabemos... Talvez por “pudor humano”, para não incomodar o Mestre... Mas sem dúvida, Bartimeu não só não se cala, mas grita com mais força... Sabe, intui, percebe que Jesus é o único que pode salvá-lo...

O Senhor para e pede que o chamem. A multidão o chama e agora lhe diz umas palavras muito bonitas: “Não tenha medo! Levanta-te! Ele te chama!” O relato é sumamente gráfico na resposta do cego. Em primeiro lugar, joga seu manto, algo que era muito importante para os que viviam na rua na época do Senhor: durante o dia, servia para por a esmola que pediam e à noite para cobrir-se. O cego joga-o... Em segundo lugar, levantou-se num pulo. Realiza um gesto exagerado para sua situação de não vidente… Porém tudo está a serviço do terceiro elemento que é aproximar-se, com entusiasmo e esperança no Senhor.
É também sumamente interessante a atitude do Senhor. Perante o cego, vai reagir com uma pergunta: “que queres que eu te faça?”. A resposta do cego é simples e não se deixa esperar: “Mestre, que eu veja”.

Jesus sem muitas voltas e apelando à fé – confiança do cego lhe dirá que pode ir tranquilo dado que está curado. Diz-nos o texto que imediatamente pode ver outra vez e, o que é muito importante, que segue o Senhor pelo caminho.

Saiba que: Jericó é uma cidade muito antiga que está situada no vale do Jordão muito perto da desembocadura deste rio no norte do Mar Morto.

Outros textos bíblicos para confrontar: Mt 20,29-34; Lc 18,35-43; Jo 9,1-40.

Para continuar aprofundando estes temas, localize na sua Bíblia os reinos de Israel e de Judá, como também a cidade de Jericó.

Perguntas para a leitura

Por onde estão passando Jesus e seus discípulos?
Há outras pessoas?
Como se chama o cego que pede esmola?
O que faz o cego quando ouve que Jesus está passando perto dele?
O que lhe diz Jesus?
Como reage a multidão, o que tenta fazer?
Como responde Bartimeu?
O que faz então o Senhor?
O que diz a multidão ao cego?
O que faz o cego quando lhe dizem que Jesus o chama?
O que pergunta Jesus a Bartimeu?
O que responde o cego ao Senhor que o interrogou?
O que diz finalmente Jesus a Bartimeu?
O que acontece ao cego?
Que atitude toma uma vez que recuperou a vista?

2 - MEDITAÇÃO

O que me diz o texto? O que nos diz o texto?

Perguntas para a meditação

Em quais situações da vida experimento que estou cego? Quais são minhas cegueiras espirituais?
O que é o que “deveria ver” e “não vejo”?
O que Deus e os irmãos me mostram como “evidentes” e, sem dúvida, me custa ver?
Busco ajuda em meio a minhas “cegueiras”? A quem peço ajuda?
Encontro no Senhor o único que pode libertar-me de minhas cegueiras?
Atrevo-me a gritar como Bartimeu pedindo o auxílio do Senhor?
O que implica para mim hoje dizer a Jesus: tem compaixão de mim e ajuda-me?
Quando alguém necessita de ajuda: permito que se aproxime de Jesus ou realizo o mesmo que faz a multidão num primeiro momento que tenta calar o cego que pede auxílio divino?
Insisto pedindo a compaixão do Senhor ou me canso facilmente?
Como me sinto sabendo que o mestre me chama?
Sou capaz de ir rapidamente ao encontro do Senhor?
O que implicaria para mim hoje “jogar o manto” e “dar um pulo” para aproximar-me de Jesus?
Deixo que Jesus me interrogue, me pergunte o que realmente estou necessitando?
Tenho a humildade de dizer a Jesus: “Mestre, que eu veja?
Sinto-me “curado” da minha cegueira pelo Senhor?
Uma vez curado por Jesus: sigo-o pelo caminho?

3 - ORAÇÃO

O que lhe digo? O que lhe dizemos?

Para suscitar a resposta da oração apresentamos um salmo:
146 (145)

4 - CONTEMPLAÇÃO

Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?

Para a contemplação podemos tomar a frase que com muita humildade diz Bartimeu ao Senhor:
· Em meio a minhas cegueiras... Mestre, que eu veja.
· Em meio a minhas escuridões... Mestre, que eu veja.
· Em meio a minhas trevas... Mestre, que eu veja.

5 - AÇÃO

Com que me comprometo? Com que nos comprometemos?

Proposta pessoal

Escolher alguma das “cegueiras” detectadas no momento da meditação, para apresentá-la de maneira particular ao Senhor, assumindo o compromisso de responder a sua graça com uma firme vontade de querer ser curado.

Proposta comunitária

Há um ditado que diz: “Não há pior cego que aquele que não quer ver”. Com teu grupo de jovens reflita sobre este ditado popular com relação ao Evangelho deste Domingo… que relações se podem dar?

Nenhum comentário: