segunda-feira, 25 de maio de 2009

Domingo de Pentecostes (At 2,1-11)

LECTIO DIVINA
Domingo, 31 de maio de 2009
Autor: Pe. Gabriel Mestre
Tradução: Pe. Carlos Henrique
1 - LEITURA
O que diz o texto?
Neste domingo, a liturgia da Igreja celebra a Solenidade de Pentecostes com a qual termina o Tempo Pascal. O envio do Espírito Santo sobre os seguidores de Jesus marca este tempo rico e dá início à ação do Espírito na Comunidade, na Igreja.
Também neste fim de semana, nos concentraremos na primeira leitura da Liturgia e não no Evangelho. O texto bíblico (At 2,1-11), como o da semana passada, é tirado do Livro dos Atos dos Apóstolos e podemos separá-lo em duas partes:
.Versículos 1-4: a vinda do Espírito Santo sobre os seguidores de Jesus;
.Versículos 5-11: a reação dos presentes diante da vinda do Espírito Santo sobre os seguidores de Jesus.
Na primeira parte, descreve-se como o Espírito Santo desce sobre os discípulos. Eles estão celebrando a festa judaica de Pentecostes quando recebem o Espírito. A forma visível de manifestação deste Espírito é variada. Por um lado, o barulho forte que vem do céu como uma tempestade estronda a casa; literalmente se fala de “rajadas de um vento forte”. Por outro lado, aparecem as chamas de fogo que pousam sobre cada um deles.
Na segunda parte do relato, descreve-se a reação dos presentes na festa que expressa, de modo decisivo, outras das ações do Espírito nos seguidores de Jesus. Estes falam línguas diferentes. Apesar de todos serem da região da Galiléia, os peregrinos judeus que vieram para a festa, ouvem falar das maravilhas de Deus no seu próprio idioma. São indicados quinze lugares diferentes que dizem respeito ao fato de que alguns são judeus de nascimento enquanto outros se “converteram” depois. O Espírito permite aos discípulos comunicar, dar a conhecer as maravilhas de Deus a todos os homens através da “língua” de cada um, para que cada um possa compreender com clareza a mensagem de Deus.
Tenha em conta que: a festa de Pentecostes ou também chamada a festa das Semanas é pré-cristã. É uma das grandes festas judaicas. Num primeiro momento, ela era celebrada como ação de graças pelas primícias das colheitas; na época de Jesus, além disso, era uma ação de graças pelo dom da Lei e da Aliança no Sinai. A festa era celebrada só no Templo de Jerusalém e durava aparentemente só um dia. Contudo, muita gente participava, inclusive vinda de muito longe. Era celebrada cinqüenta dias depois da Páscoa.
Outros textos bíblicos para confrontar: Jo 20,21-23; 14,15-17; 14,25-26; 15,26-27; 16,7-15.

Perguntas sobre a leitura

Que festa estamos celebrando?
O que comemora a festa judaica de Pentecostes?
Onde estão os seguidores de Jesus?
O que se ouve? De onde vem? O que significa?
Que outra manifestação do Espírito Santo se dá neste relato?
Do que o Espírito Santo enche os seguidores de Jesus?
Como começam a falar os discípulos?
Quem lhes indica o que devem falar?
Quem estava em Jerusalém naquela data? Por que estavam em Jerusalém?
O que fazem quando escutam o barulho no lugar onde estavam?
Como reagem?
Por que se admiram?
O que dizem uns aos outros?
De onde vinham aqueles que estavam admirados?
Quantos lugares são indicados?
Que religião professam aqueles que vieram de lugares tão distantes?
Qual é o conteúdo daquilo que dizem os discípulos do Senhor e que é possível a cada um compreender em seu próprio idioma?

2 - MEDITAÇÃO
O que me diz o texto? O que nos diz o texto?
Me reúno com outros seguidores de Jesus para celebrar as principais festas de minha fé?
Como percebo hoje que o Espírito Santo atua em minha vida, na vida de meus irmãos, na vida da Igreja?
Como se manifesta hoje o “vento forte” do Espírito Santo?
Que sentido tem falar hoje de “línguas de fogo” que pousam sobre os que somos discípulos do Senhor como manifestação do Espírito Santo?
Deixo que o Espírito hoje me encha de poder?
Sou dócil ao Espírito Santo para falar o que Ele me indique?
Deixo-me surpreender pela ação do Espírito que atua na vida de outros irmãos?
Me admiro pela ação do Espírito que sopra quando quer e como quer?
Deixo que a ação do Espírito me ensine a falar no “idioma” dos homens de nosso tempo e de nossa cultura para que possam compreender a mensagem de Deus?
Me animo a contar e cantar as maravilhas de Deus a todos meus irmãos? Ou sou “tímido” e retraído no momento em que devo manifestar mina fé?

3 - ORAÇÃO
O que digo a Deus? O que dizemos a Deus?
A oração pode ser iluminada por uma antiga oração cristã ao Espírito Santo chamada “Sequência de Pentecostes”:

Vinde, Santo Espírito, e mandai lá do céu um raio de vossa Luz!
Vinde Pai dos pobres, vinde Doador das graças vinde Luz dos corações!
Nosso bom Consolador, doce Hóspede de nossa alma, nosso doce Alívio vinde!
Nosso descanso na luta, nossa calma na labuta, nosso consolo no pranto.
Ó Luz da felicidade, cumulai de caridade aqueles que vos desejam!
Sem vossa força celeste, nada há em nós que preste, nada que seja inocente.
Removei o que está sujo, aguai o que está seco, curai o que está ferido!
Amolecei o que é rígido, aquecei o que está frígido, tirai-nos de nossos desvios!
Para aqueles que vos procuram, para aqueles que em vós confiam, daí os vossos sete Dons!
Daí o premio da virtude, daí a graça da saúde, Daí a alegria sem fim!
AMÉM!

4 - CONTEMPLAÇÃO
Como interiorizo a mensagem? Como interiorizamos a mensagem?
Te louvo Deus Espírito Santo pela maravilha da criação…
Te louvo Deus Espírito Santo pela maravilha de …

5 – AÇÃO
Com que me comprometo? Com que nos comprometemos?
Proposta pessoal
.Refletir com respeito o lugar que ocupa Deus Espírito Santo em minha espiritualidade pessoal.
Proposta comunitária
.Olhando para a nossa comunidade, propormos ao grupo do qual participamos tratar de conhecer e “interpretar” seus “idiomas” para poder falar-lhe das “maravilhas de Deus” de tal maneira que possa compreender, valorizar e seguir.

lectionautas.com

Nenhum comentário: