sábado, 15 de novembro de 2008

Ex 20,4-5


No domingo, 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida, um leitor me perguntou o significado da passagem bíblica: Ex 20,4-6. Hoje, arranjei um tempinho e respondo com muito prazer.
O texto diz: 4 Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. 5 Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. 6 E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos.
Para começar, temos que ler os dois versículos anteriores que fazem parte de um todo: 2Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. 3 Não terás outros deuses diante de mim.
Pois bem, diante de um mundo politeísta, onde as pessoas daquele período em que foi escrito o Antigo Testamento adoravam vários deuses. Reconheciam que havia um deus para cada campo da vida humana, sendo um dos principais o deus Baal, bem próximo do povo, com estas ordens, Deus quer fazer entender que não existem outros deuses, mas somente UM, ele, Javé. Em seguida, nos versículos 4,5,6: Deus explica que o ser humano representou de vários modos estes deuses em esculturas; mas Ele, o único e verdadeiro Deus está tão acima dos nossos conhecimentos. Seria um absurdo querer fazer uma imagem de um Deus tão imenso, invisível, seria querer reduzir a grandiosidade de Deus a uma estatura ou pintura que cada um pudesse fazer. Enfim, o mandamento bíblico proíbe de construir estátuas, mas com duas indicações: a primeira é que elas são proibidas quando se refere a representar Deus; a segunda é que sejam fabricadas estátuas de Deus com a intenção de adorá-las como ídolos.
Pronto, está aí a explicação, que em poucas palavras, significa que Deus querendo instaurar o monoteísmo num mundo completamente politeísta (crença em vários deuses), proibiu que ELE fosse representado por qualquer escultura ou pintura com a intenção de ser adorado através dessa escultura, pois até aquele momento Deus não tinha se revelado numa imagem que podemos ver como Jesus se revelou na imagem de homem, e o Espírito Santo na imagem de uma pomba, de línguas de fogo etc. Para ver que Deus nunca foi contra imagens, no próprio Antigo Testamento, temos várias passagens, inclusive uma depois dessa que estamos explicando, na qual, ele manda Moisés construir uma serpente de bronze e para que todo aquele que olhasse para ela vivesse (Conferir: Números 21,8-9). Isto é, podemos construir à vontade imagens de qualquer material, pinturas, fotografias, estátuas das pessoas que amamos, e inclusive dos santos que deram tanto testemunho e exemplo para nós.
Enfim, temos que interpretar cada passagem de acordo com o tempo em que foi escrito cada trecho que corresponde a uma realidade em desenvolvimento até Jesus Cristo. Para confirmar, nesse mesmo trecho de Ex 20, 5: o próprio Deus se autodenomina ciumento e vingativo, castigador, quando no Novo Testamento Jesus afirma que seu Pai não castiga ninguém; basta ler Lc 13, 1-5 juntamente com o episódio do cego de nascença (quem pecou para que nascesse cego? Jo 9,3).
Espero ter esclarecido suas dúvidas, prezado leitor! Um bom domingo!

Nenhum comentário: