sexta-feira, 22 de agosto de 2008

XXI DOMINGO COMUM – Mt 16,13-20


Quem é Jesus pra você?
O Evangelho deste domingo começa com a seguinte pergunta feita por Jesus aos seus discípulos: “quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”. A resposta a essa pergunta é muito importante porque é o ponto de chegada de todo o ministério que Jesus veio operando. Num determinado momento da missão, Jesus quer conduzir todos a um claro conhecimento e a uma confissão não equivocada sobre ele, já que todo o êxito de sua obra depende do fato que as pessoas saibam realmente quem ele é.
Só para vermos a atualidade da questão é bom citar como a cada dia saem novas idéias sobre Jesus Cristo em livros, jornais, transmissões televisivas, laboratórios, seitas; e o que está mais em voga é difamar de Jesus para provocar curiosidade e vender milhões de livros, como “O Código da Vinci” de Dan Brown e o “Evangelho segundo Jesus Cristo” de José Saramago.
Mas uma coisa é certa: os homens de todos os tempos e lugares têm um único ponto de referência: Cristo. A história iniciou a contar os seus dias a partir do nascimento de Cristo: daquele fato histórico, não só religioso, o homem deu início a uma nova história, a história antes de Cristo e a história depois de Cristo. Cristo é o ponto fixo de referência para toda a humanidade de todos os tempos. De fato, todo dado histórico se coloca a partir daquela data, antes ou depois. Até países com um calendário milenar como o a china já adotou o calendário gregoriano (a.C. e d.C.).
Mas voltando ao texto, vemos que Jesus vai mais além e faz outra pergunta: “E vocês, quem dizem que eu sou?”. Jesus não se satisfaz com o que os outros dizem dele; com esta segunda pergunta, ele constringe os apóstolos a dizerem o que realmente pensam dele.
“Você, Pedro, homem impulsivo, quem sou eu para você? E você, Tomé, cético, quem sou eu para você?” Todos se encontravam numa situação muito difícil: a de ter que qualificar a própria relação com Cristo, já que a resposta a uma pergunta como esta não conhece retóricas, convida a uma resposta clara, convida a ler no mais profundo do ser, não há como enrolar na resposta. A resposta envolve todo o nosso ser.
É bom notar que a pergunta parte de Jesus e ele mesmo é o objeto da pergunta: mas ele permanece o sujeito porque é ele o interrogante. A reflexão sobre Cristo, a qualquer nível que se possa colocar, se impõe como uma verdade: o coração da reflexão e da fé cristã não é um objeto, uma doutrina, uma fórmula, mas o Deus vivo, que provoca e inquieta, e, como podemos ver pela seqüência do relato, não dá espaço a uma resposta vaga. Jesus quer uma resposta que empenhe a própria pessoa: não se pode responder por ouvir dizer. Cada um a esta pergunta deve responder com a sua experiência de Cristo.
A fé em Cristo é envolvimento, paixão, mente e coração que vibram fortemente na tentativa de uma resposta autêntica ao interrogativo do Cristo, que empenha toda a vida.
Vittorio Messori, uma vez fez a seguinte pergunta a João Paulo II: “Por que Jesus não poderia ser somente um sábio, como Sócrates? Ou um profeta, como Maomé? Ou um iluminado, como Buda? É realmente possível sustentar ainda a certeza inaudita de que este judeu condenado à morte numa aldeia obscura é o Filho de Deus, da mesma natureza que o Pai? Esta pretensão cristã não tem paralelo com nenhuma outra crença religiosa.”
E o Papa sabiamente respondeu: “Cristo é absolutamente original, único e não repetível! É o único mediador entre Deus e os homens... todo o mundo dos homens, toda a história da humanidade encontra nele a sua expressão perante Deus. E não diante de um Deus longe, inalcançável, mas perante um Deus que está nele, antes, que é ele mesmo. Isto não existe em nenhuma outra religião, e muito menos, em nenhuma outra filosofia. A originalidade de Cristo nos assinalada pelo apóstolo desde que Pedro confessou: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Cristo está no centro da fé e da vida dos cristãos, no centro de seu testemunho, que não poucas vezes chegou até a efusão do seu sangue”. (Cruzando o limiar da Esperança). E pra você? Quem é Jesus?

Nenhum comentário: