sexta-feira, 23 de maio de 2008

VIII DOMINGO COMUM – Mt 6,24-34


Busque a Deus acima de tudo: ele providenciará o resto

Na I leitura deste domingo, encontramos uma situação que freqüentemente podemos ter vivido; ou seja, quando estamos passando por alguma provação ou dificuldade, e, costumamos reclamar como o povo de Israel: “O Senhor abandonou-me, o Senhor esqueceu-se de mim!”
Ora, é um verdadeiro absurdo da nossa parte pensar que Deus nos abandona, justo ele que nos criou para nos amar; tanto que ele nos responde: “pode por acaso a mulher esquecer-se do seu filho pequeno, a ponto de não ter pena do fruto de seu ventre? Se ela esquecer (nós sabemos que há casos assim), eu, porém, não me esquecerei de ti”.
Mesmo com palavras tão encorajadoras, nós continuamos a nos preocupar, e, às vezes até a duvidar de que Deus nos ame realmente. Jesus sabia como a preocupação em nossas vidas pode oprimir, incomodar, sobrecarregar e até nos adoecer. Por isso, como bom Mestre, ele nos ordena: “não vos preocupeis com a vossa vida, com o que havereis de comer ou beber, nem com o que havereis de vestir”. Em vez disso, ele nos convida a ter fé na Providência divina como o verdadeiro antídoto para a nossa preocupação: “Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo”. Meu irmão, minha irmã, encoraje você mesmo, lembrando das tantas situações difíceis que Deus livrou você com a Sua Providência e aprenda a confiar nele para tudo que você precisar em vez de ficar se preocupando.
Deus nos dá uma graça suficiente para cada momento da nossa vida. Assim, para evitarmos o cansaço e o esgotamento em nossas mentes, devemos aprender a viver o momento presente. É o que Jesus nos ensina em Mt 6,34: “para cada dia bastam seus próprios problemas”. Veja! Jesus não está dizendo que não teremos mais problemas, mas que ele está do nosso lado se vivermos o presente e deixarmos os problemas de amanhã para amanhã. Até porque no amanhã, a graça de Deus nos capacitará suficientemente para lidar com tudo o que possa ocorrer nas nossas vidas.
Aos discípulos preocupados como iam se alimentar e se vestir, Jesus lhes diz: a subsistência dos pássaros do céu que não trabalham e o vestuário dos lírios do campo que não tecem depende unicamente do Pai. Claro que Jesus não está nos ordenando para ficar acomodados. O que ele está nos pedindo é simplesmente que devemos buscar aquele que é o centro na nossa vida: Deus.
Em nossa sociedade atual, vemos uma enorme ênfase no consumismo, nas coisas materiais, mas nós devemos lembrar que tais coisas não são mais importantes que Deus. Ele quer que tenhamos e desfrutemos de coisas boas, mas ele exige estar em primeiro lugar na nossa vida. Temos de aprender a buscar o Reino de Deus e sua justiça antes de qualquer coisa.
O vocábulo “buscar” significa “perseguir”. Quando nós buscamos algo, pensamos nisto constantemente, falando incansavelmente sobre o assunto, e dispostos a pagar um preço para termos aquilo. Algumas pessoas até caem numa armadilha de buscar a Deus só para que ele dê a elas o que elas querem. Isto está errado, pois devemos ter o hábito de buscar a face de Deus e não a sua mão. Em outras palavras, devemos buscar sua presença, não seus presentes. É urgente que comecemos a buscar a Deus pelo que ele é e não pelo que ele pode fazer por nós. Mas não se preocupe, “vosso Pai, que está nos céus, sabe que precisais de tudo isso”.
Deus fica imensamente feliz quando nós queremos gastar tempo com ele só porque nós o amamos. Ele é também grato quando nós o louvamos e o adoramos somente pelo que ele é. Deixe Deus ser o Senhor da sua vida. Busque-o acima de tudo. Ele nunca te deixará na mão. “Ninguém pode servir a dois senhores... não podeis servir a Deus e ao dinheiro”. E não existe pior senhor que o dinheiro. Ele te escraviza a ponto de tirar-te a liberdade de amar a Deus e ao teu próximo. O dinheiro é necessário na nossa vida como servo, não como senhor. Não se iluda a ponto de pensar que o dinheiro traz segurança. Se trouxer, pode acabar a qualquer momento por inúmeras razões. Só em Deus encontramos repouso, salvação, rochedo, fortaleza e segurança total (Sl 61).

Nenhum comentário: