sexta-feira, 11 de maio de 2007

VI DOMINGO DA PÁSCOA



UMA PAZ DIFERENTE
“Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns ao outros”. Amar-nos uns aos outros com o mesmo amor com o qual Jesus nos amou é o único modo pelo qual todos podem reconhecer que nós somos seguidores de Jesus Cristo. O bom pastor nos disse isto com muita clareza no domingo passado. Hoje, continuando o assunto, nos diz como demonstrar o nosso amor por ele e pelo Pai. De fato, se o nosso amor pelo próximo não transparece no modo como o tratamos, como demonstramos ao Senhor que o amamos? Podemos dizer-lhe com as palavras... Mas com palavras corre-se o risco de ser uma coisa só da boca pra fora.
Concretamente, como poderemos mostrar a Deus Pai que o amamos? Ensina-nos o próprio Jesus: “se alguém me ama, observa a minha palavra... quem não me ama, não observa as minhas palavras”. Parece tudo tão simples, mas é fundamental. Só podemos demonstrar a Deus que o amamos, escutando a sua palavra, conservando-a no coração e colocando-a em prática. É importante escutar com atenção a Palavra de Jesus e do mesmo jeito é importante colocá-la em prática, isto é, fazer o que ele nos pede, caminhar seguindo os seus passos.
Assim, se na missa dominical ouvimos a Palavra de Deus, e talvez até a escutamos com atenção, mas depois que saímos da igreja, nos esquecemos do que ouvimos, a que serve? Pior ainda, se passamos a semana inteira fazendo exatamente o contrário daquilo que Jesus nos ensinou, no fundo, demonstramos que ele não importa muito pra nós. É como se disséssemos com as palavras: te amo, Senhor; mas, com o comportamento: mas eu faço do jeito que eu quero. Esta atitude não parece mesmo um modo para mostrar a Deus que queremos bem a ele. Pelo contrário, se não guardamos os seus mandamentos, não o amamos.
Todos, queremos guardar as palavras de Jesus no nosso coração, e para isso, ele nos assegura que o Espírito Santo enviado do Pai nos recordará tudo: “o Espírito Santo que o Pai mandará em meu nome, vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos disse”. Se nós ficarmos atentos todo domingo à Palavra de Deus, com certeza, durante toda a semana o Espírito Santo que está em nós nos ajudará a lembrar e a entender as palavras de Jesus, e nos fará lembrar no momento justo.
Por exemplo, acontece algo na nossa vida, principalmente quando alguém nos machuca; imediatamente, ficamos com raiva, pensando numa maneira de como não ficar por baixo. Se tivermos escutado bem o Evangelho, com certeza, o Espírito Santo nos fará lembrar como devemos nos comportar neste momento: “amai-vos uns aos outros”. Como é possível que naquele momento nos lembremos daquela palavra de Jesus? Eu acredito que tenha sido o Espírito Santo.
Mais adiante, Jesus deixa bem claro o efeito do cumprimento de sua palavra: “eu vos dou a paz, eu vos dou a minha paz. Não como o mundo dá, eu a dou a vós. Que não se turbe o vosso coração e não tenhais medo”. Quando estivermos tristes, preocupados, com medo, é muito bom pensar nestas palavras. É o próprio Jesus quem nos assegura: “não tenham medo nem fiquem tristes. Não vos inquieteis com aquilo que acontece a vocês, porque eu dou um dom precioso: a minha paz”.
A paz que Jesus nos dá é diferente da que o mundo dá. Não é somente a ausência de guerra, o viver em segurança e tranqüilidade, a tolerância. Não! É uma paz que brota do amor e uma paz que conseguimos ter mesmo em tempo de dificuldade e provação. É uma paz que nos torna capaz de reconhecer no rosto de quem está ao nosso lado um irmão para amar.
Que Nossa Senhora de Fátima nos faça sentir a sua presença materna, e que ela nos guie, a Serva do Senhor, a nos abrirmos a sua palavra, acolhendo-a, para uma vida transformada.

Nenhum comentário: